Wheaton Precious Metals planeja listagem em Londres


Wheaton tem um contrato vitalício de streaming de ouro com a Vale sobre sua mina Salobo. (Foto: Ricardo Teles | Vale SA.)

A canadense Wheaton Precious Metals, uma das maiores empresas de streaming de ouro e prata do mundo, planeja se listar na Bolsa de Valores de Londres para aumentar a exposição aos investidores europeus que buscam negócios de metais preciosos.

A empresa com sede em Vancouver, que tem uma capitalização de mercado de cerca de US $ 23 bilhões, está listada em Toronto e Nova York, onde suas ações subiram cerca de 75% este ano.

A listagem planejada da Wheaton no Reino Unido até o final do ano a tornaria a maior empresa de metais e mineração a ingressar na LSE desde a Glencore em 2011.

As empresas de streaming fornecem pagamentos adiantados as mineradoras em troca do direito de comprar metais com desconto no futuro. Esse tipo de empresa é uma das mais lucrativas no setor de recursos naturais, pois tendem a ter despesas gerais e custos baixos. Wheaton emprega apenas 40 pessoas.

O grupo tem acordos de streaming com 17 empresas de mineração, incluindo as majors Barrick Gold, Vale e Glencore.

O presidente e executivo-chefe Randy Smallwood disse que a empresa não está tentando levantar dinheiro em conjunto com a listagem.

“O objetivo da listagem é tentar abrir novas maneiras de investir em metais preciosos para os acionistas e fundos baseados na LSE”, disse Smallwood. “[Isso] complementará nossas listagens existentes na bolsa de valores da América do Norte, que nos serviram bem ao longo dos anos e apoiaram nosso crescimento.”

A mineradora canadense Yamana Gold também está planejando uma listagem na LSE, enquanto a B2Gold disse no início deste mês que pode considerar tal movimento.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2020 Student Chapter / Society of Economic Geologists / USP