• Mining.com

Preços das commodities - Superciclo ou aumento regular?

Os mercados das commodities podem estar prestes a embarcar em outro superciclo - um aumento de preços plurianual, amplo e geralmente grande - de acordo com uma pesquisa publicada por alguns dos principais bancos de investimento envolvidos no setor.

Mas embora muitos preços provavelmente aumentem nos próximos dois anos, após a queda durante a pandemia do coronavírus, é menos claro que isso marcará o início de um superciclo, em vez de uma retomada cíclica comum.

Mesmo uma inspeção superficial das séries históricas de tempo mostra que os preços das commodities exibem um comportamento cíclico em todas as escalas de tempo, variando de muito curto (minutos, horas e dias) a muito longo (meses, estações, anos e até décadas durando).

Em um ciclo típico, os preços em alta encorajam mais vendas e produção, e menos compras e consumo, criando condições para uma queda subsequente de preços, antes que o padrão se repita.

Na maioria dos casos, o comportamento cíclico dos preços individuais mostra apenas uma sincronização limitada entre os mercados de commodities (“Sobre o desenvolvimento e o impacto dos preços e ciclos de commodities”, McGregor et al, UNIDO, 2018).

Portanto, o termo superciclo é reservado para as maiores flutuações de preço e os ciclos mais longos, normalmente durando mais de 20 anos do vale ao pico e vice-versa, envolvendo um espectro incomumente amplo de commodities.


Choques de demanda


Os superciclos passados ​​atingiram o pico nas décadas de 1910, 1950, 1970 e 2010, de acordo com um estudo de preços de 40 commodities agrícolas, industriais e energéticas do historiador econômico David Jacks.

Ele argumenta que os superciclos geralmente emergiram do lado do consumo, e não do lado da produção do mercado (“Do boom ao colapso: uma tipologia dos preços reais das commodities no longo prazo”, Jacks, 2013).

Superciclos anteriores foram impulsionados pela industrialização e urbanização dos Estados Unidos e pela Primeira Guerra Mundial, a reindustrialização da Europa e do Japão após a Segunda Guerra Mundial e a industrialização e urbanização da China nos anos 2000.

Jacks observou: “Estes são episódios impulsionados pela demanda intimamente ligados a episódios históricos de industrialização e urbanização em massa que interagem com restrições agudas de capacidade em muitas categorias de produtos - em particular, energia, metais e minerais - a fim de gerar commodities reais acima da tendência preços por anos, senão décadas.”

“No entanto, uma vez que tal choque de demanda emerge, geralmente há uma resposta de oferta compensatória conforme as atividades de exploração e extração antes adormecidas decolam e a mudança tecnológica induzida toma conta. Assim, à medida que as restrições de capacidade são atenuadas, os preços reais das commodities voltam à abaixo da tendência.”

Enormes aumentos no consumo são o que distingue os superciclos plurianuais das altas e baixas de preços mais rotineiras.



A questão crítica é se é provável que haja um aumento comparável no consumo nos próximos anos, que poderia desencadear um aumento e uma queda nos preços grande e longo o suficiente para ser qualificado como um superciclo.


A próxima década


Existem vários gatilhos potenciais para um aumento maior do que o normal no ciclo ao longo dos próximos 5-10 anos.

A próxima grande economia com probabilidade de se industrializar e urbanizar é a Índia, que seria grande o suficiente para deflagrar um superciclo, embora seja menos claro se isso acontecerá em breve.

A construção de uma nova infraestrutura de energia para apoiar as metas climáticas também pode ser grande o suficiente para desencadear um superciclo, se acontecer rápido o suficiente e em escala suficientemente grande.

Finalmente, o estímulo fiscal em grande escala após a pandemia pode ser suficiente para desencadear um superciclo, embora ainda não esteja claro se o estímulo será diferente dos gastos cíclicos comuns do governo.

Por conta própria, a industrialização da Índia, a transição energética e os gastos do governo em grande escala poderiam desencadear um superciclo, mas a probabilidade seria significativamente aumentada se ocorressem em combinação.

Até agora, entretanto, todos esses são gatilhos potenciais; há evidências limitadas de que eles estão em andamento ou irão desencadear um aumento maior e mais longo do que o normal nos preços das commodities nos próximos anos.

Os superciclos são definidos por sua frequência relativamente baixa e longa duração. Nem toda desaceleração no ciclo dos negócios se transforma em depressão. Da mesma forma, nem toda alta nos preços das commodities se tornará um superciclo.

Existe o risco de superestimar a ocorrência de superciclos. O anterior atingiu o pico há uma década. É possível que outro esteja em andamento. Mas estaria chegando com uma rapidez incomum.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2021 Student Chapter / Society of Economic Geologists / USP