• Brasil Mineral

Desempenho do setor de siderurgia “surpreendente” na pandemia


Apesar da Covid-19, a recuperação da indústria siderúrgica brasileira em 2020 foi “surpreendente”, já que no ápice da pandemia o setor chegou a operar com apenas 45% de sua capacidade instalada. É o que analisa o Instituto Aço Brasil, informando que as vendas internas somaram 19,2 milhões de toneladas, um crescimento de 2,4% na comparação com 2019. Mas a produção de aço bruto, que atingiu 31,0 milhões de toneladas em 2020, teve queda de 4,9% em relação ao que foi produzido no ano anterior, fundamentalmente “devido à parada de equipamentos no 2º trimestre, momento mais agudo da crise de demanda”.

As exportações também não tiveram bom desempenho, pois atingiram 10,7 milhões de toneladas, ficando 16,1% abaixo do total de exportações realizadas em 2019 já que, segundo o IABr, as empresas do setor deram prioridade ao abastecimento do mercado doméstico. Em relação ao consumo aparente de produtos siderúrgicos, em 2020, este atingiu 21,2 milhões de toneladas, representando um crescimento de 1,2% em relação ao ano de 2019.

Para 2021, na visão do Instituto, “as expectativas da indústria brasileira do aço são positivas, prevendo-se que a produção aumente 6,7% em relação ao ano anterior, atingindo 33 milhões de toneladas de aço bruto. Em relação às vendas internas, a estimativa é de que tenham um crescimento de 5,3% atingindo 20,3 milhões de toneladas e o consumo aparente de produtos siderúrgicos de 5,8% em comparação com 2020, alcançando a 22,4 milhões de toneladas”.

No entanto, a entidade ressalva que a manutenção desta perspectiva positiva depende “da velocidade e do alcance da vacinação da população e o consequente controle da pandemia COVID-19 para que o país possa voltar a uma situação de maior normalidade. Também são de extrema relevância para a retomada sustentada da economia, a agilização das discussões para aprovação das reformas tributária e administrativa”.

Para o IABr, a indústria do aço tem sido bastante impactada pelo aumento dos preços de suas principais matérias primas, como minério de ferro, sucata, e carvão mineral, entre outras.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2021 Student Chapter / Society of Economic Geologists / USP