• Mining.com

DeepGreen Metals atualiza estimativa de recursos do fundo do mar


DeepGreen Metals tem parceria com a academia para avaliar a viabilidade ambiental da extração de metais de bateria do fundo do mar (Imagem DeepGreen Metals).

DeepGreen Metals, uma empresa que explora nódulos polimetálicos em águas profundas como uma alternativa de menor impacto para a mineração terrestre, anunciou uma revisão do recurso de nódulos relatado na área de contrato de exploração NORI-D mantida por sua subsidiária, Nauru Ocean Resources.

O recurso do nódulo, disse DeepGreen, é agora estimado em quatro megatons (Mt) medidos, 341Mt indicados e 11Mt inferidos de recursos minerais.

A mineração de águas internacionais está em destaque, já que empresas e países estão procurando minerais concentrados no fundo do oceano que podem ser usados ​​em baterias para smartphones e veículos elétricos.

DeepGreen está planejando produzir metais a partir de rochas polimetálicas para alimentar VEs e a empresa disse que a estimativa atualizada de recursos minerais mostra que a abundância de nódulos em sua área de contrato aumentou 5,4% em comparação com sua estimativa de 2019.

DeepGreen relatou elevação nos graus de manganês (2,2% mais alto), cobalto (5,4% mais alto) e níquel (6,1% mais alto). Os fabricantes de VE estão adotando produtos químicos cada vez mais ricos em níquel, que oferecem maior densidade de energia do que outros tipos de bateria, enquanto os analistas alertam que as novas descobertas terrestres de níquel para bateria podem não acompanhar a demanda prevista.

“Ao contrário da exploração mineral em terra, a confiança dos recursos nos nódulos polimetálicos é excepcionalmente alta devido à natureza bidimensional do recurso. Você pode realmente ver os nódulos no fundo do mar”, disse o diretor de desenvolvimento da DeepGreen, Anthony O’Sullivan, no comunicado à imprensa.

“Fizemos a amostragem e pesquisa para entender a variação fundamental do recurso do nódulo e descobrimos que é extremamente consistente. É diferente de tudo que você vê em terra.”

Os campos de nódulos polimetálicos no CCZ do Pacífico representam o maior recurso de níquel não desenvolvido conhecido do planeta, disse a empresa. Um white paper comissionado pela DeepGreen descobriu que os nódulos sob contratos de exploração no CCZ contêm metais de bateria mais do que suficientes para alimentar um bilhão de VEs e com uma fração dos impactos sociais e ambientais quando comparados as minerações terrestres.

Ambientalistas pediram a proibição da mineração no fundo do mar que extrairia recursos, incluindo cobre, cobalto, níquel, zinco, lítio e elementos de terras raras de nódulos no fundo do oceano.

A Autoridade Internacional dos Fundos Marinhos (ISA), órgão da ONU com sede na Jamaica, elaborou regulamentos sobre exploração, mas ainda não estabeleceu as regras de exploração necessárias para que a mineração prossiga.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2021 Student Chapter / Society of Economic Geologists / USP