Codelco segue adiante com planos de automação para impulsionar a produção


Os caminhões de transporte da mina Gabriela Mistral da Codelco são 100% autônomos. Crédito: Codelco.

A estatal chilena Codelco, maior produtora de cobre do mundo, prosseguirá com planos para implantar a automação de suas operações de mineração enquanto busca manter os níveis de produção no futuro em meio à queda dos teores de minério e à interrupção da pandemia do coronavírus, disse seu principal executivo na sexta-feira (28/008/2020).

O avanço da agenda de digitalização da Codelco tem prejudicado as relações com os sindicatos devido ao potencial de avanços tecnológicos que reduzem a necessidade de trabalho manual.

O desenvolvimento tecnológico é, no entanto, crítico para garantir a viabilidade de longo prazo da mineração, disse o CEO da Codelco, Octavio Araneda, em um seminário realizado na capital, Santiago.

Os mineiros de cobre estão lutando globalmente com a interrupção contínua da pandemia do coronavírus, enquanto que no Chile, eles também enfrentam uma combinação de níveis de minério em declínio e revisões caras de minas antigas.

“Estamos comprometidos com um programa de introdução de caminhões autônomos nos boxes. Essa é uma meta potente e desafiadora em termos de automação”, disse ele.

“Esse é o grande passo que ainda falta dar, nossas fábricas já estão bastante automatizadas.”

A Codelco, que entrega todos os seus lucros ao estado, aumentou a produção em 4,7% no primeiro semestre do ano, ao mesmo tempo que reduziu o quadro de funcionários e ajustou os sistemas de turnos para diminuir a disseminação do vírus em suas operações.

Mas quando o Chile atingiu seu pico de infecções em julho e o vírus se espalhou para as cidades do deserto do norte, os sindicatos da Codelco relataram cerca de 3.000 casos e algumas mortes, o país foi forçado a paralisar projetos de desenvolvimento e fundições.

Araneda comemorou a capacidade da Codelco de reduzir os níveis do coronavírus entre os trabalhadores para uma média de sete casos diários por dia em uma massa de 70.000 pessoas, mais da metade das quais são assintomáticas.

Araneda disse que a empresa está preparada para uma segunda onda.

“É muito provável que ocorra aumento no número de infecções no país e nas regiões onde atuamos”, afirmou.

O Chile ultrapassou esta semana 400.000 infecções e mais de 11.000 mortes por covid-19, embora com uma queda nas taxas diárias de infecção, tenha começado um levantamento cauteloso dos bloqueios e retomada das atividades comerciais na capital e em todo o país.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2020 Student Chapter / Society of Economic Geologists / USP