Dez países controlam 50% das reservas globais de ouro



A escassez e a durabilidade do ouro o posicionam como o ativo monetário perfeito para a corrida dos bancos centrais e instituições em estocar suas pilhas. A corrida para aumentar as reservas de ouro viu dez principais economias globais assumirem a liderança, acumulando reservas de ouro quase metade do tamanho da contagem global.

Os dados investigados e calculados pela Buyshares.co.uk mostram que 49,37% das reservas globais de ouro estão sob o controle de dez países. Globalmente, o total de reservas de ouro é de 1,85 bilhão de onças, enquanto os dez principais países acumulam 913,29 milhões de onças em ouro.

Os Estados Unidos lideram o caminho com 286,86 milhões de onças ou 15,5% do total de reservas globais de ouro. A Alemanha possui a segunda maior reserva de ouro, com 188,63 milhões de onças, o que representa 6,4% da reserva global. Entre as instituições, o Fundo Monetário Internacional ocupa o terceiro lugar quando comparado aos países, com 99,24 milhões de onças, representando 5,3% da reserva global. As reservas de ouro da Itália, de 86,47 milhões de onças, representam 4,7% do total de reservas mundiais, enquanto a França ocupa o quinto lugar com 85,91 milhões de onças em reservas de ouro ou 4,6% do total mundial.

A investigação revelou que a Rússia possui a sexta maior reserva de ouro, com 80,89 milhões de onças ou 4,3% das reservas acumuladas em todo o mundo. A China responde por 3,8%, com 69,54 milhões de onças, enquanto a Suíça ocupa o sétimo lugar, com 36,67 milhões de onças, ou 1,9% do total global de reservas de ouro. As 26,96 milhões de onças do Japão o colocam no nono lugar, representando 1,5% das reservas globais. A Índia ocupa o décimo lugar, com 22,11 milhões de onças, representando 1,2% das reservas globais de ouro.


Metais preciosos


A pesquisa também investigou e calculou o número de onças armazenadas de outros metais preciosos em todo o mundo. A partir dos dados, o lítio ocupa o primeiro lugar, com 492,37 bilhões de onças em reservas globais. Em junho de 2020, a prata possuía a segunda maior reserva mundial, com 19,3 bilhões de onças.

O ouro ocupa o terceiro lugar, com 1,85 bilhão de onças em reservas, seguido pelo paládio, com 1,21 bilhão de onças. Entre os cinco principais metais preciosos, a platina tem o mínimo de reservas em 1 bilhão.


Bancos centrais


Historicamente, o ouro é conhecido como um porto seguro para os investidores, pois tem a capacidade de resistir a qualquer tempestade financeira, portanto, os governos estão em uma corrida para estocar suas pilhas.

Embora os Estados Unidos continuem detendo as maiores reservas de ouro, houve uma mudança. Nos últimos cinco anos, China e Rússia emergiram como os principais compradores de ouro para figurar entre as dez principais categorias.

Com a recente guerra comercial entre os Estados Unidos e a China, o preço do ouro aumentou. A maioria dos investidores não tem certeza do futuro econômico das economias de cada país. Como resultado, a demanda por ouro tem sido alta.

Os governos centrais podem continuar estocando ouro em suas reservas devido à profunda incerteza que surgiu como um impacto da pandemia do coronavírus.

Com o mercado de ações testemunhando mínimos históricos, os bancos centrais veem o ouro como a opção perfeita para proteger a economia em caso de crise semelhante no futuro.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2020 Student Chapter / Society of Economic Geologists / USP