Novas espécies de corais são valorizadas pelo potencial econômico


Novas espécies de Coral Negro Umbellapathes litocrada. Crédito: Zootaxa.


Três espécies de coral negro foram descobertas no fundo do mar no norte do Oceano Pacífico, uma área onde vários países têm contratos para explorar metais, incluindo cobalto e níquel, enquanto correm para encontrar novos suprimentos dos principais elementos para bateria.

Os corais foram descobertos em montes submarinos profundos e cristas na zona de crosta primária rica em minerais, que se estende da Fossa de Mariana às ilhas havaianas, de acordo com um artigo publicado na revista científica Zootaxa.

Os autores Dennis Opresko, do Smithsonian Institute, e Daniel Wagner, da Conservation International, disseram que pretendiam identificar habitats de profundidade na zona que detém as maiores concentrações de ferromanganês ricas em cobalto na crosta terrestre.

“Esses corais de vida longa são muito parecidos com as sequoias, mas no oceano. Eles não são apenas de crescimento lento e vida longa, mas também fornecem habitat importante para muitas outras espécies”, disse Wagner.

“A mineração de seu habitat pode eliminá-los antes de sabermos seu verdadeiro valor.”

China, Japão, Rússia e Coréia do Sul têm contratos de exploração na zona de crosta primária, de acordo com a Autoridade Internacional do Fundo do Mar, um órgão da ONU encarregado de regular o fundo do oceano.

Ambientalistas pediram a proibição da mineração em alto mar, que extrairia recursos valiosos, incluindo cobalto, cobre, níquel e manganês dos nódulos e crostas do fundo do mar.

A mineração em alto mar pode destruir espécies ainda não descobertas, disse o Ocean Panel em junho. Apenas cerca de 20% do fundo do oceano foi mapeado até o momento, de acordo com a Conservation International.

As novas espécies de corais negros recebem esse nome por causa de seus esqueletos negros, mas podem aparecer em rosa, branco ou em várias outras cores por causa dos tecidos vivos que crescem sobre o esqueleto.

Estudos anteriores encontraram uma espécie de coral negro com mais de 4 250 anos, disse a Conservation International.

A Autoridade Internacional do Fundo do Mar (ISA), com sede na Jamaica, elaborou regulamentos sobre exploração, mas ainda não estabeleceu as regras de exploração necessárias para que a mineração em alto mar prossiga.

Uma assembléia presencial da ISA foi adiada de julho devido à pandemia Covid-19, e agora "provavelmente" ocorreria no início de dezembro, de acordo com o site da ISA.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2020 Student Chapter / Society of Economic Geologists / USP