Mina da Teck no Chile muda para energia renovável


Mina de cobre Carmen de Andacollo da Teck no Chile. Crédito: Teck Resources

A Teck Resources assinou um contrato de longo prazo que fornecerá à sua operação de cobre Carmen de Andacollo, no Chile central, energia 100% renovável, eliminando 200.000 toneladas de emissões de gases de efeito estufa (GEE) - o equivalente a tirar 40.000 carros das estradas - anualmente.

Pelo acordo com a AES Corp., a operação será abastecida com 72 MW por ano do portfólio de energia eólica, solar e hidrelétrica da AES a partir deste mês. O acordo está em vigor até o final de 2031; A vida da mina de Carmen de Andacollo atualmente se estende até 2035.

“A Teck está enfrentando o desafio global da mudança climática reduzindo a pegada de carbono de nossas operações e trabalhando para nos tornarmos neutros em carbono”, disse Don Lindsay, presidente e CEO da Teck. “Este acordo leva a Teck um passo mais perto de atingir nossos objetivos de sustentabilidade, ao mesmo tempo que garante um fornecimento de energia limpa e confiável de longo prazo para Carmen de Andacollo a um custo reduzido para a Teck.”

A Teck já tem um relacionamento com a subsidiária da AES, AES Gener, que fornecerá mais de 50% da energia necessária para o projeto Quebrada Blanca Fase 2 da Teck no Chile, atualmente em construção.

A diversificada mineradora de cobre, zinco e carvão metalúrgico se comprometeu a se tornar uma operadora neutra em carbono até 2050. Para chegar lá, ela estabeleceu metas importantes, incluindo o fornecimento de toda a energia para suas operações chilenas com fontes renováveis ​​até 2030 e a redução do carbono das operações em 33% até 2030. A empresa também desistiu de sua proposta de construir a mina Frontier Oilands em Alberta no início deste ano, embora o CEO da Teck, Don Lindsay, tenha mencionado a política ao invés de preocupações ambientais para a decisão. A Teck ainda detém uma participação de 21,3% na joint venture Fort Hills Oilands na província.

Localizada a 350 km ao norte de Santiago, a Carmen de Andacollo é 90% controlada pela Teck, com a Empresa Nacional de Mineria detendo o restante. A operação a céu aberto produziu 54.000 toneladas de cobre em 2019, gerando US $ 394 milhões.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2020 Student Chapter / Society of Economic Geologists / USP