• Mining.com

Europa Ocidental confirma 43% dos investimentos globais em projetos para fabricação de baterias


Planta da VW em Salzgitter. (Imagem da Volkswagen).

Em 2020, os analistas da Fitch Solutions registraram 37 projetos de fabricação de baterias VE e componentes e materiais relacionados no valor de US $ 21,04 bilhões, para esses projetos divulgando detalhes financeiros.

Os projetos vão desde a produção de células e embalagens próprias, até materiais de ânodo e suportes de bateria, e dão uma ideia de quais regiões são mais ativas no desenvolvimento de uma cadeia de abastecimento localizada e quais países são os maiores beneficiários nessas regiões.

A Europa Ocidental reivindicou tanto o maior número de projetos, com 17, quanto o maior valor combinado, com US $ 9,1 bilhões. Isso deu à região uma participação de 43,5% do investimento global total em projetos para fabricação de baterias, relata a Fitch.



Em nível de país, a Alemanha liderou a região com 10 dos 17 projetos registrados. O maior projeto na Alemanha é a planta de células de bateria de US $ 2 bilhões da SVOLT com uma capacidade de 24 GWh por ano.

Esta atividade na Alemanha reflete a iniciativa das principais montadoras do país em investir pesado na fabricação de VEs em suas fábricas. Volkswagen, Daimler e BMW estão presentes na mesa com seus próprios projetos de produção de baterias, mostrando o papel mais ativo que as montadoras estão desempenhando na cadeia de abastecimento, observa a Fitch.

Na Europa Emergente, os projetos são dominados pela Hungria e Polônia e são principalmente no segmento de componentes para bateria, abastecendo as instalações existentes nesses países. Isso mostra a força desses dois países como locais de produção automotiva em geral, diz a Fitch, bem como sua capacidade de subir na cadeia de valor com produtos de alta tecnologia.

A SK Innovation da Coréia do Sul, por exemplo, está planejando construir sua terceira fábrica na Hungria, que se tornou a base europeia da empresa.

Embora grande parte do investimento nas regiões seja impulsionado pelo desejo de reduzir a dependência de um punhado de mercados, principalmente a China, para o fornecimento de baterias e componentes relacionados, os projetos para a região da Ásia mostram que a China ainda é um alvo de investimento devido a ser o maior mercado autônomo do mundo para VEs.

A China foi responsável por três dos oito projetos monitorados na Ásia, relata a Fitch, com um valor combinado de US $ 2,6 bilhões, sendo o maior uma joint venture de US $ 1,2 bilhão entre a Geely e a CATL para uma nova fábrica de baterias. A CATL também foi responsável pelo maior investimento na região da Ásia em geral, com US $ 5 bilhões para uma nova fábrica de baterias na Indonésia.

A empresa também concordou que 60% do níquel usado na produção de baterias na planta será de origem local, informando a visão do analista de que a Indonésia tem potencial para se tornar um jogador chave no desenvolvimento de uma cadeia de abastecimento de baterias do Sudeste Asiático.


(Leia o relatório completo aqui)

Posts Em Destaque
Posts Recentes