• Mining.com

Estudo indica que custos ambientais frequentemente ficam subestimados em relatórios


Mineração de carvão na Renânia do Norte-Vestfália, Alemanha. (Imagem por tomwieden, Pixabay).

Pesquisadores da Universidade de Gotemburgo da Suécia analisaram as informações fornecidas por 164 empresas europeias de mineração, petróleo e gás e energia nuclear e descobriram que a maioria delas fornece informações esparsas sobre responsabilidades ambientais futuras em seus relatórios anuais.

Em detalhes, os especialistas usaram a análise de texto computadorizada para examinar as informações sobre os custos de restauração relacionados ao meio ambiente nas notas dos relatórios anuais, ao longo de um período de 12 anos. Entre outras coisas, eles buscaram informações sobre a taxa de desconto e o horizonte de tempo estimado para pagamentos - informações essenciais para avaliar o tamanho dos passivos ambientais.

“Os passivos ambientais futuros, como custos de desativação, são frequentemente subestimados e poucos entendem a carga que esses custos podem impor às gerações futuras”, disse Mari Paananen, professora de administração de empresas que liderou o estudo, em um comunicado à mídia.

“Se, por exemplo, uma empresa de petróleo e gás quebrar, custa uma quantia incrível limpar poços de petróleo antigos e é grande o risco de que os contribuintes tenham que pagar a conta. Portanto, é importante que as obrigações ambientais sejam vistas pelos investidores, credores e o público para que possamos discutir o problema.”

De acordo com Paananen, embora a divulgação de informações ambientais nos relatórios anuais tenha aumentado ao longo do tempo, atualmente apenas 60% das empresas fornecem informações sobre as taxas de desconto e 65% divulgam o tempo para a obtenção de caixa necessário. Por outro lado, pouco mais de um terço forneceu informações sobre ambos.

Na visão do pesquisador, por não haver um reclamante claro para esse tipo de obrigação futura, também há pouca demanda por informações. Assim, ela acredita que o International Accounting Standards Board precisa fornecer requisitos mais claros sobre quais dados devem ser incluídos nos relatórios anuais, a fim de possibilitar a avaliação do passivo ambiental.

“Acho que essas diretrizes tornariam as empresas mais inclinadas a divulgar mais informações e também dariam, por exemplo, aos auditores um mandato para exigir informações específicas”, disse ela.

Paananen e sua equipe também investigaram se o nível de divulgação aumentou quando as empresas enfrentaram a exposição na mídia com foco em questões ambientais ou como as empresas assumem a responsabilidade pelo meio ambiente.

“Percebemos claramente que se as empresas são expostas na mídia, as informações ambientais aumentam e as empresas divulgam de forma mais específica o passivo ambiental no relatório anual seguinte”, disse ela.

Acesse mais sobre o estudo aqui.

Posts Em Destaque
Posts Recentes