• Mining.com

Compreender como os depósitos de cobre do tipo pórfiro são formados pode levar a novos recursos


Vista aérea do projeto subterrâneo Pumpkin Hollow perto de Yerington, Nevada.

Pesquisadores da University of Exeter, do British Geological Survey e da University of Surrey publicaram um estudo que aborda a explicação da formação de depósitos de cobre do tipo pórfiro.

Em um artigo publicado na revista Communications Earth & Environment, os cientistas explicam que os depósitos de cobre pórfiro se desenvolvem vários quilômetros abaixo da superfície da Terra, acima de grandes câmaras de magma.

Sua geologia torna os depósitos de pórfiro raros, enquanto a maioria dos grandes exemplos próximos à superfície já foram encontrados. Isso significa que entender como e onde eles se formam pode ser do interesse das empresas de mineração que buscam recursos inexplorados.

Isso é particularmente importante, dadas as previsões recentes que prevêem um déficit anual de abastecimento que pode chegar a 10 milhões de toneladas de cobre até 2030 se nenhuma mina for construída.

De acordo com os pesquisadores, a ligação que eles encontraram está relacionada a como grandes quantidades de fluidos mineralizantes são extraídos e transportados de seus magmas de origem e focalizados no ambiente de formação de minério por meio de "diques cristalinos".

Esses diques “é o reconhecimento fundamental para o desenvolvimento de modelos de exploração do tipo pórfiro mais confiáveis ​​e tem significado para outros sistemas de formação de minério e processos vulcânicos”, disse Lawrence Carter, principal autor do estudo, em um comunicado à mídia.

Para chegar a essas descobertas, os especialistas conduziram estudos de campo e análises micro-texturais e geoquímicas de amostras do distrito de pórfiro arquetípico de Yerington em Nevada, onde uma seção transversal paleo-vertical de aproximadamente 8 quilômetros através de vários sistemas de depósito de cobre pórfiro é exposta.

Lá, a equipe foi capaz de identificar uma rede interconectada de quartzo dentro de diques encontrados em rochas que já estiveram abaixo dos depósitos de cobre. Isso representa a paleo porosidade em uma massa de cristal magmática outrora permeável de feldspato e quartzo. O mesh agia como contribuinte para grandes quantidades de fluidos formadores de depósitos de pórfiro de porções profundas de magmas subjacentes.

O grupo acredita que este avanço pode fornecer insights para a descoberta de novos depósitos de cobre pórfiro, que já fornecem 75% do cobre mundial, e o mecanismo proposto para a formação de outros tipos de depósitos de minério, bem como processos de desgaseificação em sistemas vulcânicos.

Leia mais sobre o artigo aqui.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2021 Student Chapter / Society of Economic Geologists / USP