• Mining.com

China construirá minas de minério de ferro no exterior para garantir abastecimento


Depósito de Simandou, Guiné. (Imagem da Rio Tinto.)

A China pretende construir uma ou duas minas de minério de ferro globalmente significativas no exterior até 2025 para aumentar o fornecimento do metal e fortalecer seu poder de precificação, disse o ministério da indústria na quinta-feira (31/12/2020).

A produção de participações acionárias de empresas chinesas em minas no exterior deve representar mais de 20% das importações de minério de ferro até aquele ano, de acordo com um plano de cinco anos para o setor siderúrgico publicado pelo Ministério da Indústria e Tecnologia da Informação (MIIT).

O plano, que está aberto para comentários do público até 31 de janeiro, também prevê o aumento da oferta de outros recursos minerais para a produção de aço, como manganês e cromo.

A China, maior produtora de aço do mundo, atualmente depende da importação de cerca de 80% de seu minério de ferro, mas não se sabe quanto disso vem de minas no exterior em que detém participações.

Ela tem minas de minério de ferro nacionais com um teor muito mais baixo do que nos principais produtores, como Brasil e Austrália, e possui uma participação na mina Simandou na Guiné.

“A China vai acelerar a construção de grandes projetos de minério de ferro na África Ocidental e na Austrália Ocidental”, disse o MIIT, acrescentando que a cooperação também seria fortalecida com a Rússia, Cazaquistão, Mongólia, Camboja e outros países vizinhos, ricos em recursos.

A China também acelerará as fusões e aquisições no setor siderúrgico e formará vários grupos siderúrgicos de "classe mundial", disse o ministério.

As cinco maiores siderúrgicas chinesas devem responder por 40% da produção total de aço da China até 2025, enquanto as dez maiores terão uma participação de 60%, ante 37% agora.

A nova capacidade de produção de aço na China será estritamente proibida e novos projetos de aço em áreas costeiras "em princípio" não são permitidos, disse o MIIT.

Os fornos elétricos a arco - que usam principalmente sucata de aço como matéria-prima - devem responder por 15-20% da produção de aço bruto, acrescentou.

O MIIT, que emitiu em conjunto um comunicado permitindo as importações de sucata de aço de alta qualidade a partir de 1º de janeiro, está tentando aumentar o fornecimento anual de recursos nacionais de sucata de aço para 300 milhões de toneladas, disse o documento.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2021 Student Chapter / Society of Economic Geologists / USP