• Mining.com

BHP completa primeiro reabastecimento de navio com biocombustível


A mineradora está explorando o uso de combustíveis de bunker para substituir o óleo combustível (Crédito: BHP).

A BHP Group Ltd disse que completou este mês seu primeiro reabastecimento de um navio com biocombustível em um teste que faz parte de seus esforços para reduzir as emissões de carbono. Foi também a primeira vez que um navio foi reabastecido com biocombustível em Cingapura, o maior centro de abastecimento de combustível do mundo.

Uma mistura de biocombustíveis derivada de fontes de matéria-prima sustentáveis ​​certificadas, como óleo de cozinha, óleo de gordura e lodo de esgoto foi usada em 4 de abril para reabastecer o graneleiro Kira Oldendorff de 81.000 toneladas de peso morto, que estava a caminho da Austrália para a Europa.

A mistura não exigiu modificações significativas no motor ou em outros componentes, disse um porta-voz da BHP.

A gigante da mineração está explorando o uso de combustíveis de bunker, como gás natural liquefeito e biocombustíveis para substituir o óleo combustível, com o objetivo de reduzir as emissões de carbono em 40% ao embarcar seus produtos, como parte das metas de mudança climática da empresa para 2030.

A mistura de biocombustível usada reduz as emissões de CO2 do poço até a exaustão em 80% a 90% em comparação com os óleos combustíveis residuais convencionais, disse a BHP em um comunicado.

O porta-voz disse que havia carga suficiente para testar o biocombustível por vários dias, uma parte significativa da viagem do navio. Ele não quis comentar sobre o preço do biocombustível, citando um acordo de confidencialidade.

A indústria naval está examinando uma série de tecnologias para cumprir a meta da Organização Marítima Internacional para reduzir 50% nas emissões gerais de gases de efeito estufa em relação aos níveis de 2008 até 2050.

A consultoria Wood Mackenzie diz que a demanda global por combustíveis navais à base de petróleo deve cair nas próximas três décadas, à medida que as regras de emissões de carbono mais rígidas para a indústria naval aumentem e o uso de combustíveis alternativos cresça.

O biocombustível foi fornecido pela GoodFuels, com sede na Holanda, em parceria com o grupo de navegação alemão Oldendorff Carriers e a Autoridade Marítima e Portuária de Cingapura.

“Este teste marca o início de um processo para a GoodFuels de facilitar o fornecimento mais estrutural de biocombustíveis marinhos sustentáveis ​​em Cingapura, de maneira comercial, operacional e tecnicamente viável”, disse Isabel Welten, diretora comercial da GoodFuels, no comunicado.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square