Baterias Vanilla Redox-Flow são a novidade do momento


Bateria de fluxo redox Vanillin. (Imagem cortesia da Graz University of Technology).

Pesquisadores da Graz University of Technology, na Áustria, acabaram de fazer baterias redox-flow ambientalmente mais amigáveis ​​ao substituir seu elemento central, o eletrólito líquido, por vanilina, um ingrediente importante dos croissants de baunilha austríacos.

Em um artigo publicado na revista Angewandte Chemie International Edition, os cientistas explicam que a vanilina, um composto aromatizante comumente usado, é um dos poucos produtos químicos finos produzidos a partir da lignina. A lignina, por sua vez, é gerada como resíduo na produção de papel.

O que o principal autor do estudo Stefan Spirk e seus colegas fizeram foi refinar a lignina em vanilina em um material redox ativo usando química suave e verde sem o uso de catalisadores de metal. A substância resultante provou ser eficaz em baterias de fluxo.

De acordo com Spirk, o processo funciona à temperatura ambiente e pode até ser implementado com produtos químicos domésticos comuns. No entanto, a ideia de usar lignina permite a produção em massa, já que o composto é normalmente gerado em grandes quantidades.

A Spirk já patenteou o processo de separação e refino. Agora, ele e sua equipe querem comercializar a tecnologia, pois acreditam que o processo é altamente escalonável e adequado para produção contínua.

“O plano é conectar nossa fábrica a uma fábrica de celulose e isolar a vanilina da lignina que sobra como resíduo”, disse Spirk em um comunicado à mídia. “Tudo o que não for necessário pode, subsequentemente, voltar ao ciclo regular e ser usado com energia como de costume. Estamos em negociações concretas com a Mondi AG, fabricante líder global de produtos à base de papel, que está demonstrando grande interesse na tecnologia”.

Para a implementação final, a tecnologia deve ser testada em operação real. Assim, os pesquisadores agora procuram empresas de fornecimento de energia que possam integrar a tecnologia de fluxo redox em sua infraestrutura e aliviar a carga da rede.

“Podemos manter a cadeia de valor desde a aquisição de matérias-primas e componentes até a geração de eletricidade em uma base regional, permitir capacidades de armazenamento de até 800 centenas de MWh, aliviar a pressão sobre a rede elétrica e dar uma contribuição importante para a revolução do armazenamento de energia verde”, disse Spirk.

A tecnologia de fluxo Redox é caracterizada pelo armazenamento de grandes quantidades de energia e pode, portanto, amortecer picos de tensão na rede elétrica. As baterias também são adequadas como armazenamento de backup para aplicações estacionárias, como usinas de energia, operações remotas, hospitais, sistemas de telefonia móvel ou estações de abastecimento eletrônico.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2020 Student Chapter / Society of Economic Geologists / USP