O “Índice de Favorabilidade do Gelo” promete aumentar as chances de encontrar ouro na lua


OS GEÓLOGOS, ASSIM COMO AS EMPRESAS EMERGENTES, ACREDITAM QUE OS ASTEROIDES SÃO EMBALADOS COM MINÉRIO DE FERRO, NÍQUEL E METAIS PRECIOSOS EM CONCENTRAÇÕES MUITO MAIS ALTAS DO QUE AQUELAS ENCONTRADAS NA TERRA, CONSTITUINDO UM MERCADO NA CASA DOS TRILHÕES DE DÓLARES.


Pesquisadores da University of Central Florida criaram um modelo geológico para oferecer aos mineradores que procuram explorar a lua com melhores chances de encontrar ouro.

Como encontrar o metal amarelo na lua está ligado à existência de ricos depósitos de gelo de água que podem ser transformados em recursos, como combustível, para missões espaciais, os cientistas criaram um “Índice de Favorabilidade do Gelo”.

Em um artigo publicado na revista Icarus, os especialistas dizem que o modelo geológico explica o processo de formação de gelo nos polos da lua e mapeia o terreno, que inclui crateras que podem conter depósitos de gelo. O modelo também explica o impacto dos asteroides na superfície da lua sobre os depósitos de gelo encontrados metros abaixo da superfície.

"Apesar de sermos o nosso vizinho mais próximo, ainda não sabemos muito sobre a água na lua, especialmente quanto ao volume sob a superfície", disse o principal autor Kevin Cannon em comunicado à imprensa. "É importante considerarmos os processos geológicos que foram realizados para entender melhor onde podemos encontrar depósitos de gelo e qual a melhor forma de chegar a eles com o menor risco possível".

Segundo Cannon, a maneira como as empresas de mineração opera na Terra serviu de inspiração para este projeto. "As empresas de mineração realizam mapeamentos de campo, colhem amostras do local em potencial e tentam entender as razões geológicas por trás da formação do mineral específico que procuram em uma área de interesse", afirmou o pesquisador. "Em essência, eles criam um modelo para a aparência de uma zona de mineração antes de decidir gastar dinheiro para perfurar".

Seguindo essa abordagem, sua equipe usou dados coletados sobre a Lua ao longo dos anos, incluindo dados de observações de satélite e da primeira viagem à Lua, e realizou simulações no laboratório.

Além da possibilidade de encontrar minerais e metais críticos para empreendimentos terrestres, a mineração da lua poderia permitir que os humanos explorassem o sistema solar e além.

Se uma fonte de combustível puder ser extraída da Lua, isso significaria que a espaçonave não precisaria carregar combustível extra para longas missões. Isso, por sua vez, ajudaria a diminuir o custo dos voos.

No início deste ano, os EUA propuseram o “Acordo de Artemis”, um acordo que se alinha com várias iniciativas públicas e privadas para cumprir a meta de extrair recursos de asteroides, lua e até outros planetas.

Em 2015, o Congresso dos EUA aprovou um projeto de lei explicitamente permitindo que empresas e cidadãos explorassem, vendessem e possuíssem qualquer material espacial.

A lei, no entanto, não concedia "soberania ou direitos soberanos ou exclusivos ou jurisdição sobre ou propriedade de qualquer organismo celestial".

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2020 Student Chapter / Society of Economic Geologists / USP